Na Prática a Teoria é Outra Rotating Header Image

Grande debates da Blogosfera: O New Deal

Nos últimos dias, um debate de altíssimo nível vem tendo lugar na blogosfera gente grande gringa: o que foi o New Deal e em que medida ele oferece algum insight para o Obama usar agora?

Eis nosso resumo do debate, com a narração e comentários NPTO. Aceite meus resumos de complexos papers econômicos por sua conta e risco.

Andrew B. WIlson, mané neoliberalzaço: Alguém avisa aí o negão que esse negócio de New Deal é a maior furada. O tal do Roosevelt torrou uma grana preta durante dez anos e acabou que, dez anos depois, o desemprego era mais que vinte por cento. Fiasco total.

Coro NPTO: IIIHHHHH! Não deixava! Não deixava!

Eric Rauchway: Para de mentir, mané neoliberalzaço. Esse número de 20% você tirou da cartola contando como desempregados os caras que trabalhavam naqueles projetos sociais do New Deal, que eram uns 3 milhões de caras. Pô, se você partir do princípio que os empregos gerados pelo New Deal não contam, e depois disser que o New Deal não fez nada pelo emprego, dã, assim até eu.

Coro NPTO: IIIHHHHHH!!!!! MORAAAAAAL!!!! Participa do coro Brad deLong, que grita, “o dedo mindinho de Eric Rauchway sabe mais sobre a Grande Depressão do que 15 clones de Amity Schlaes“! Nesse momento, NPTO finge que vai no banheiro, checa no Google, e lembra que Amity Schlaes foi uma dona liberalzaça que disse que o New Deal foi uma bela bosta, como se pode ver nesse interessante EconTalk.

Alex Tabarrok: quietinha aí, minha nega. O mané neoliberalzaço usou os dados oficiais, você pode discordar disso, mas não vem me ficar toda putinha e chamar o cara de mentiroso. Além disso, faz sentido dizer que os caras no work relief eram desempregados, porque senão é óbvio que vai parecer que o New Deal estimulou a economia como um todo, quando na verdade ele só deu uns empreguinhos públicos mixurucas pros desempregados.

Coro NPTO: como assim, “só”?

Alex Tabarrok (contin.): Cala a boca, coro NPTO. Meu blog tem em cinco minutos a sua audiência de um ano

Coro NPTO: foi mal.

Alex Tabarrok (contin.): pois bem, o importante é saber se o estímulo fiscal acelerou a economia como um todo, isso é, no setor privado também.

Megan McArdle: Tabarrok pegou o Rauchway  e deu-lhe tamanha surra que até minha bunda aqui doeu.

Coro NPTO: Não deixava! Não deixava!

Dana McCourt: Surra? Tu que tá dizendo

Eric Rauchway: Megan, o mané neoliberalzaço é um cascateiro miserável, pelo seguinte: 1) ele foi sacana de pegar o ano de 1938 para comentar o New Deal. Mesmo se você usar os dados dele (que não são mais considerados oficiais, não), você vê que o desemprego caiu pra cacete durante o New Deal, mas subiu de novo em 38, quando o Roosevelt deu uma de muiézinha e reverteu algumas de suas políticas. Nesse ano, o Keynes escreveu para o Roosevelt mandando ele virar macho e injetar mais dinheiro na economia.

Coral NPTO: OOOOHHHH!!!!! Keynes!!!!! Fodãããããooo!!!!

Eric Rauchway (contin.): Megan, espero que sua bunda esteja se sentindo melhor.

Paul Krugman: Três palavras pra vocês: Nô, Bé, Ú.

Coro NPTO: OOOOOOHHHHHH!!!!!!!!!

Paul Krugman (contin.): É mais ou menos o que o Rauchway falou: o ano de 38 foi especialmente ruim porque o Roosevelt resolveu ficar fiscalmente conservador de uma hora para a outra. Mas o mais importante que se tira do que o Rauchway falou foi o seguinte: o New Deal não foi keynesiano (até porque a Teoria do Keynes só saiu em 36). Embora o gasto tenha aumentado, as taxas também aumentaram (na época do Hoover, mas batendo nos anos seguintes), de maneira que o impulso fiscal foi bastante modesto. Aí um zé ruela de bigodinho ridículo arrumou a chance que o Roosevelt queria para REALMENTE gastar dinheiro, e o estímulo fiscal resultante ajudou mesmo.

Megan MacArdle: ainda estou pensando numa resposta, mas enquanto isso aproveito para dizer que o livro da Amity Shlaes é interessante, mas beeeeeeem parcial, e que a Grande Depressão é um negócio complicado demais para dizer que foi culpa do governo.

Alex Tabarrok: É mais ou menos isso que o Krugman falou, mas tem uma sacanagem enfiada no argumento: parece que o governo gastou de menos, porque o incentivo fiscal foi pequeno. Mas, na verdade, foi pequeno porque as taxas subiram muito! O gasto governamental, na verdade, aumentou pra cacete.

Tyler Cowen: O Alex é meu amigo, brigou com ele, brigou comigo. Tá aqui um monte de citação pra vocês pra provar que não foi a guerra que resolveu o problema.

Coro NPTO: Carááááááiii!!!!! Citaçããããããoooo!

Tyler Cowen (contin.): Nesse primeiro aqui, vemos que o que reverteu a Depressão foi uma parada monetária, não  fiscal: ouro pra caceta entrou nos EUA fugindo da instabilidade política na Europa.

Coro NPTO: pô, mas pra ler isso aí tem que pagar!

Tyler Cowen (contin.): ema, ema, ema, cada um com seus pobrema. Cê sabe, Markets in Everything. Além do que, se você deixar de ser débil mental e for procurar no google, vai achar de graça.

Coro NPTO: foi mal.

Tyler Cowen (contin.): nesse outro aqui, o cara diz que quem resolveu a recaída de 37-38 foi um aumento de produtividade da economia como um todo, que a gente não sabe muito bem de onde saiu, mas parece ser parte da tendência natural da economia ir se ajustando à sua tendência média. E nesse outro aqui. Esse outro cara testa o efeito do gasto militar nas áreas em que ele foi mais intenso, e não acha nada. Um outro mané disse que esse crescimento da época da guerra não conta como aumento de bem-estar, porque é tudo gasto em azeitona pra meter em alemão, não em outras coisas muito mais maneiras.

Coro NPTO: vem cá, mas essas explicações são todas congruentes entre si? E o ouro que entrou nos EUA não conta como “causado pela guerra”? E, a propósito, era disso que estávamos falando?

Paul Krugman: como eu estava dizendo: o Obama vai ter que torrar uma grana sincera. Meu conselho para o Obama: pegue sua estimativa de quanto vai ter que gastar, some mais 50%.

Coro NPTO: OOOOOHHHHH!!!!!

Eric Rauchway: Para o caso do NPTO ainda estar anotando o placar, manda aí, Nobel:

Coro NPTO: Porra! Me citaram num blog famoso! Que maravilha! Meu Império de Mídia Mundial se fortalece cada vez mais! Rupert Murdoch, your ass is mine!

Todos os participantes ao mesmo tempo: quem deixou esse merda entrar na conversa?

Coro NPTO: foi mal aí.

George Will: eu não prestei muita atenção no que vocês disseram, mas é o seguinte: essa parada de New Deal é a maior furada. Nos anos 30, o investimento ficou negativo por toda a década porque o governo não deixava o mercado fazer seu trabalho.

Paul Krugman: na-na-ni-na-ninha. Porque tu não lê o resto do post, seu mané? O que realmente aconteceu é que a coisa vinha recuperando mais ou menos, o Roosevelt resolveu apertar o orçamento em 37, piorou tudo de novo, e só com o famoso programa de obras públicas conhecido como Segunda Guerra Mundial é que saímos do buraco. Quanto ao investimento ficar negativo, estava todo mundo desempregado, as fábricas todas paradas, porque alguém iria abrir uma nova? Você abriria? E comprar um carro usado do NPTO, cê não quer também, não?

Brad DeLong: ouçam o da barba aí, quem sabe cês não aprendem alguma coisa?

Coro NPTO: posso falar de novo?

Todos os Participantes: só se for pra falar “OOOOHHHH”.

Coro NPTO: OOOHHHHH!!!!!

(mais updates à medida em que os caras respondam)

Be Sociable, Share!

16 Comments

  1. Brilhante, como sempre. Eu dei muita risada
    Um abraço,
    Marcos

  2. NPTO says:

    Ô, vossa torredemarfinocência, muito nos abrilhanta seu elogio! Servimos bem para servir sempre!

  3. renato says:

    1) Por isso o NPTO é o NPTO

    2) Eu simplesmente pegaria esse post e faria uma página só para ele, ou imprimiria e penduraria na sala do apartamento, ao lado de um quadro de Salvador Dali e Jackson Pollock…

    Pqp, brilhante!

  4. NPTO says:

    Galera, cês se enchem de cachaça antes de vir comentar, daí começam a elogiar qualquer coisa! Cês acham que eu não conheço meu público? Rá!

  5. Japajato says:

    “Três palavras pra vocês: Nô, Bé, Ú.”

    Picture perfect. Pô, vou ressuscitar o meu blog só pra tu postar nele :-)

  6. Felipe Basto says:

    Cara, finalmente alguém explicou essa merda toda em português de gente. Parabéns, NPTO!

  7. Homero says:

    O New Deal é como aquele coquetel de remédios que o médico passa para curar uma gripe monstruosa. O paciente passa uma semana inteira tomando remédios para ficar bom e agradece ao médico.

    Aí pouco depois ele se lembra que na gripe anterior ele não tomou remedio nenhum e demorou os mesmos 7 dias para se recuperar.

    Resumo da ópera: ninguém sabe se todas aquelas mendidas do New Deal foram as responsáveis pela recuperação da economia americana a partir de 1940, ou se, caso o governo FDR não tivesse feito nada, a economia se recuperaria antes, depois ou não se recuperaria.

  8. João Paulo Rodrigues says:

    Semi-genial.
    Mais ou menos muito bom.
    Passarei a vir aqui amiúde.

  9. NPTO says:

    Valeu, João Paulo, apareça sempre!

  10. Estou em campanha para que o Eddie ressuscite o seu blog e faça postagens regulares. Ja me candidato a visitar seu blog para dar audiência. Criatividade não falta!!!

  11. […] Tem uma atulização interessante lá no debate sobre o New Deal. […]

  12. Mariana Mai says:

    Hahaha, hilário! Grande performance, NPTO! É por isso que eu sempre passo por aqui…

  13. NPTO says:

    Oi Mari! Servimos bem para servir sempre!

  14. […] não é outro debate sobre o New Deal. É a aposta entre o Freakonomics e o Marginal Revolution para saber em qual caixa de comentários […]

Leave a Reply

Your email address will not be published.